Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










17.9.02
 
Estou meio dispersa hoje e insatisfeita, apesar dos dois vitoriosos brasileiros no esporte: Rubinho levando a melhor em Monza e
Guga restabelecendo-se na Bahia.
Em compensação, o que rola no cenário político é constrangedor aqui, como nos outros estados da União. Os candidatos se engalfinham constrangedoramente. Eu não entendo como acusações frontais, quase sempre ofensivas, podem construir um perfil de político para o cargo de responsabilidade máxima dentro de um governo democrático. O período que antecede as eleições é hoje, ironicamente, o tempo da desconstrução. Às urnas, comparecem personagens reduzidas à sua expressão mais vulgar.
Eu pergunto: -- Pode um indivíduo depreciado vir a imprimir respeito à função que vai executar?
Não suporto o clima de desmoralização que se instala em tempo de eleição. Tudo tem o sabor venenoso do discurso invertido, o efeito degradante do logro, quando poderia ser a mobilização consciente de uma nação que vai escolher o seu dirigente. Nossa legislação importada tem que ser revista, tem que se amoldar à nossa realidade.
Como chegarmos à maturidade política, a um consciente exercício dos direitos cidadãos?



publicado por Magaly Magalhães às 2:38 AM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário