Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










26.7.04
 

Why - do - gees...
James Marsh
http://illoart.com


Conseguimos! Parreira está orgulhoso. Sofremos numa partida apertada, mas acertamos no último minuto da prorrogação. E nos pênaltis, ai! Que agonia! MARAVILHA!


* * *

Eu já tinha conhecimento de um certo gaúcho, novo nas letras, mas não estreante, autor de Deixe o Quarto Como Está . Ele se chama Amílcar Bettega Barbosa .
Quem curte Cotázar vai sentir-se à vontade lendo Os Lados do Círculo, em que o autor assume abertamente a influência do escritor portenho.
Para Cotázar, o conto é *a imagem do círculo, forma geométrica perfeita, em que um ponto não pode se separar da superfície total*, tese que permeia os doze breves contos de Os Lados do Círculo, montada sobre ciclos que se fecham e se renovam continuamente.
Em seu terceiro livro, Battega continua questionando sobre *a obediência cega a uma idéia de real que comporta permanentemente em uma falta, e nunca nos redime*.
*Com seu centro fixo, um quadrado em movimento gera o círculo que o aprisiona*, o que explica o esforço inútil para ir a qualquer lugar, movimento de eterno retorno que se observa em todo o livro.

* * *


Vi no Afrodite, da Cláudia Letti, e adorei. Trouxe para vocês:

Rabisco
e arrisco
um risco

risco o risco
e arrisco
um riso

Risco
em giz
e arrisco
um risco

Texto de Cláudia Letti

Palmas para a Cláudia, gente!


publicado por Magaly Magalhães às 11:19 PM
20.7.04
 
Notícia  alvissareira:
 
Para os leitores que se interessam por textos escolhidos, há material novo, excelente , atualíssimo no Imagens e Palavras, a saber: artigos sobre vida, morte e obra do grande escritor paraense Haroldo Maranhão e entrevistas a três dos onze Wunder que formam o portal Wunderblogs.com, agora, livro, editado pela Editora Barracuda, sob o mesmo nome. Estas são entrevistas inteligentes, preparadas pela nossa companheira Meg e por ela conduzidas com humor e sabedoria.
Estão todos convidados a consultar o referido material com irrestrita liberdade. Leiam, comentem (no próprio Imagens e Palavras), perguntem, sintam-se à vontade.

 
Falando de leituras:
 
Acabei de ler Os Dez mandamentos da Ética de Gabriel Chalita.
A busca da excelência em todas as coisas, ou seja, a Ética, tem sido estudada ao longo dos tempos, tendo sido a Grécia o berço do debate filosófico. Aristóteles foi um dos primeiros a tentar sistematizá-la e o fez em um extenso tratado dirigido a seu filho Nicômaco.
As questões éticas têm sido discutidas ao longo dos tempos, ao sabor das mudanças históricas.
Atualmente, o eminente Professor Gabriel Chalita, doutor em Direito e em Comunicação e Semiótica, mestre em Ciências Sociais, bacharel em Filosofia,  logrou discutir os pontos fundamentais da matéria, renovando-os, adaptando-os ao nosso tempo em seu  recente livro, já em 2ª impressão,  Os Dez Mandamentos Ética, editora Nova Fronteira, 2003.
Os mandamentos que ele estuda e esmiúça:
1 - Fazer o bem
2 - Agir com moderação
3 - Saber escolher
4 - Praticar as virtudes
5 - Viver a justiça
6 - Valer-se da razão
7 - Valer-se do coração
8 - Ser amigo
9 - Cultivar o amor
10- Ser feliz

Vale a pena a leitura deste trabalho inteligente, elucidativo e muito bem elaborado.

 
Nota: 
Meu abraço de amizade e carinho a todos vocês pelo dia dedicado ao Amigo, acompanhado destes  presentinhos:

AMIGA
 
Deixa-me ser tua amiga, Amor,
A tua amiga só, já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor
A mais triste das mulheres

Que só, de ti, me venha mágoa e dor
O que me importa a mim?! O que quiseres
É sempre um sonho bom! Seja o que for
Bendito sejas tu por mo dizeres!

Beija-me as mãos, Amor, devagarinho...
Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho...

Beija-mas bem!... Que fantasia louca
Guardar assim, fechados, nestas mãos,
Os beijos que que sonhei pra minha boca!...

Florbela Espanca 

  Diferença de Opinião Oil Painting  de Sir Lawrence Alma-Tadema
http://www.wholesaleoilpainting.com 




publicado por Magaly Magalhães às 11:19 PM
14.7.04
 
LIBERDADE - IGUALDADE - FRATERNIDADE



http://educaterra.com.br

Este lema motivou as ações contra o arbítrio e a desigualdade entre as classes sociais, no Estado francês, no ano de 1789.

A queda da Bastilha aconteceu a 14 de julho de 1789.

A Marselhesa, composta pelo oficial francês Rouget de Lisle, canta essa luta do povo contra o despotismo.
Mais tarde, torna-se o hino oficial francês.

LA MARSEILLAISE

Allons enfants de la Patrie
Le jour de gloire est arrivé !
Contre nous de la tyrannie
L'étendard sanglant est levé (bis)
Entendez-vous dans nos campagnes
Mugir ces féroces soldats?
Ils viennent jusque dans vos bras.
Égorger vos fils, vos compagnes!
Aux armes citoyens
Formez vos bataillons
Marchons, marchons
Qu'un sang impur
Abreuve nos sillons
Que veut cette horde d'esclaves
De traîtres, de rois conjurés?
Pour qui ces ignobles entraves
Ces fers dès longtemps préparés?
Français, pour nous, ah! quel outrage
Quels transports il doit exciter?
C'est nous qu'on ose méditer
De rendre à l'antique esclavage!
Quoi ces cohortes étrangères!
Feraient la loi dans nos foyers!
Quoi! ces phalanges mercenaires
Terrasseraient nos fils guerriers!
Grand Dieu! par des mains enchaînées
Nos fronts sous le joug se ploieraient
De vils despotes deviendraient
Les maîtres des destinées.
Tremblez, tyrans et vous perfides
L'opprobre de tous les partis
Tremblez! vos projets parricides
Vont enfin recevoir leurs prix!
Tout est soldat pour vous combattre
S'ils tombent, nos jeunes héros
La France en produit de nouveaux,
Contre vous tout prêts à se battre.
Français, en guerriers magnanimes
Portez ou retenez vos coups!
Épargnez ces tristes victimes
À regret s'armant contre nous
Mais ces despotes sanguinaires
Mais ces complices de Bouillé
Tous ces tigres qui, sans pitié
Déchirent le sein de leur mère!
Nous entrerons dans la carrière
Quand nos aînés n'y seront plus
Nous y trouverons leur poussière
Et la trace de leurs vertus
Bien moins jaloux de leur survivre
Que de partager leur cercueil
Nous aurons le sublime orgueil
De les venger ou de les suivre!
Amour sacré de la Patrie
Conduis, soutiens nos bras vengeurs
Liberté, Liberté chérie
Combats avec tes défenseurs!
Sous nos drapeaux, que la victoire
Accoure à tes mâles accents
Que tes ennemis expirants
Voient ton triomphe et notre gloire!
 
A MARSELHESA
 
Avante, filhos da Pátria,
O dia da Glória chegou.
O estandarte ensangüentado da tirania
Contra nós se levanta.
Ouvis nos campos rugirem
Esses ferozes soldados?
Vêm eles até nós
Degolar nossos filhos, nossas mulheres.
Às armas cidadãos!
Formai vossos batalhões!
Marchemos, marchemos!
Nossa terra do sangue impuro se saciará!
O que deseja essa horda de escravos
de traidores, de reis conjurados?
Para quem são esses ignóbeis entraves
Esses grilhões há muito tempo preparados? (bis)
Franceses! Para vocês, ah! que ultraje!
Que elans deve ele suscitar!
Somos nós que se ousa criticar sobre voltar à antiga escravidão!
Que! essas multidões estrangeiras
Fariam a lei em nossos lares!
Que! as falanges mercenárias
Arrasariam nossos fiéis guerreiros (bis)
Grande Deus! por mãos acorrentadas
Nossas frontes sob o jugo se curvariam
E déspotas vis tornar-se-iam
Mestres de nossos destinos!
Estremeçam, tiranos! e vocês pérfidos,
Injúria de todos os partidos,
Tremei! seus projetos parricidas
Vão enfim receber seu preço! (bis)
Somos todos soldados para combatê-los,
Se nossos jovens heróis caem,
A França outros produz
Contra vocês, totalmente prontos para combatê-los!
Franceses, em guerreiros magnânimes,
Levem, carreguem ou suspendam seus tiros!
Poupem essas tristes vítimas, que contra vocês se armam a contragosto. (bis)
Mas esses déspotas sanguinários
Mas esses cúmplices de Bouillé,
Todos esses tigres que, sem piedade,
Rasgam o seio de suas mães!...
Entraremos na batalha
Quando nossos antecessores não mais lá estarão.
Lá encontraremos suas marcas
E o traço de suas virtudes. (bis)
Bem menos ciumentos de suas sepulturas
Teremos o sublime orgulho
De vingá-los ou de seguí-los.
Amor Sagrado pela Pátria
Conduza, sustente nossos braços vingativos.
Liberdade, querida liberdade
Combata com teus defensores!
Sob nossas bandeiras, que a vitória
Chegue logo às tuas vozes viris!
Que teus inimigos agonizantes
Vejam teu triunfo e nossa glória. 
 
(Tradução encontrada neste site)  


publicado por Magaly Magalhães às 11:57 PM
10.7.04
 


Rose Meditative
Salvador Dali Oil Painting
www.wholesaleoilpainting.com


De vez em quando, eu penso, sabiam? Pois é. É o que está acontecendo agora.
Eu, pensando...

Para seguir uma carreira qualquer, o indivíduo tem que, além do estudo fundamental e médio, ter concluído um curso profissionalizante, ou submeter-se a um concurso, ou ter finalizado um curso universitário, enfim, ter uma qualificação profissional.

Mas o candidato à carreira política prescinde dessa qualificação. Candidatam-se pessoas preparadas, não vou negar, mas os despreparados estão lá, pretendendo fazer política sem a menor visão do que seja o organismo político, sem que seja submetido, pelo menos, a testes psicológicos (o que ocorre até com pessoas que fazem concursos públicos ou privados),que lhes apontem as tendências e a motivação.
O resultado está aí, em baixo de nossos olhos.

Um político é teoricamente um indivíduo que se dedica à causa pública. Deve ser uma pessoa dedicada ao bem comum, que veja no bem público toda a motivação de sua atividade e tenha capacidade de realizar um trabalho abnegado.

Parece que, hoje em dia, a carreira política aparece como tentadora pela facilidade com que o indivíduo arruma sua vida pessoal e familiar, em primeiro lugar. Depois vem o trabalho em si, que se resume a montar projetos de lei, nem sempre socialmente justos. O eleitorado, este, não deverá ser submetido a decepções: que seria da reeleição?

É tudo muito impróprio e injusto, mas a sociedade pode ajudar. Aliás, a solução tem que surgir da conscientização do corpo social e de sua participação no processo político.


* * *

Minha cabeça hoje está em Parati. Vi as notícias pela televisão e estou ansiosa por detalhes sobre o evento. Como há muitos blogueiros participando da festa, com certeza vamos ter muitos posts sobre os assuntos discutidos lá. Que bom! Por enquanto, tenho que me conformar com o que a imprensa (falada e escrita) nos envia, o que é uma bela contribuição. Minha curiosidade é com as impressões pessoais dos felizardos blogueiros presentes ao evento.


* * *

Termino aqui com um versinho gostoso, claro, da Cecília:

EPIGRAMA Nº 9

O vento voa,
a noite se atordoa,
a folha cai.

Haverá mesmo algum pensamento
sobre essa noite? Sobre esse vento?
sobre essa folha que cai?

Cecília Meireles / VIAGEM

publicado por Magaly Magalhães às 12:43 AM
2.7.04
 


Renoir Oil painting
http://www.wholesaleoilpainting.com

Ganhei de uma amiga o livro Murilo Mendes, Melhores Poemas. Estou francamente noutra dimensão. Não poderia dormir em paz hoje sem dividir com vocês a beleza desses poemas:

MURILOGAMA A CECÍLIA MEIRELES

Dorme no saltério & na magnólia,
Dorme no cristal & em Cassopéia

Dorme em Cassopéia & no saltério,
Dorme no cristal e na magnólia.

O século é violento demais para teus dedos
Dúcteis afeiçoados ao toque dos duendes:

O século, ácido demais para uma pastora
De nuvens, aponta o revólver aos mansos

Inermes no guaiar & columbrando a paz.
Armamentos em excesso, parque sombras de menos

Se antojam agora ao homem, antes criado
Para dança, alegria & ritmos de paz.

A faixa do céu glauco indica-te serena,
Acolhe a ode trabalhada, não gemente

Que ainda quer manter linguagem paralém.
Altas nuvens sacodem as crinas espiando

Teu sono incoativo. A noite vai inoltrada,
Prepara úsnea de seda à sagorna da tua lira

Que subjaz no corpo interrompido, diamante
Ahimé! mortal que os deuses reclamaram.

* * *

Dorme em paz Cassopéia & no saltério,
Dorme no cristal e na magnólia.


PRÉ-HISTÓRIA

Mamãe vestida de rendas
Tocava piano no caos.
Uma noite abriu as asas
Cansada de tanto som,
Equilibrou-se no azul,
De tonta não mais olhou
Para mim, para ninguém:
Cai no álbum de retratos.


CANÇÃO DO EXÍLIO

Minha terra tem macieiras da Califórnia
onde cantam gaturanos de Veneza.
Os poetas de minha terra
são pretos que vivem em torre de ametista,
os sargentos do exército são monistas, cubistas,
os filósofos são polacos vendendo a prestações.
A gente não pode dormir
com os oradores e os pernilongos.
Os sururus em família têm por testemunha a Gioconda.
Eu morro sufocado
em terra estrangeira.
Nossas flores são mais bonitas
nossas frutas mais gostosas
mas custam cem mil-réis a dúzia.

Ai quem me dera chupar uma carambola de verdade
e ouvir um sabiá com certidão de idade!


Que tal? Não valeu a pena?

Murilo Mendes passou fora do Brasil a maior parte de sua vida, na Itália, tanto que se tornou poeta italiano, prêmio internacional de poesia Etna-Taormina. No entanto, apesar de seu longo exílio, sempre foi, na forma e na inspiração, poeta brasileiro, na palavra de Luciana Stegagno Pichio
A crítica brasileira tem Murilo como uma das vozes mais inovadoras e, por isso mesmo, mais essenciais da lírica modernista.


publicado por Magaly Magalhães às 12:37 AM