Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










12.6.03
 
Vamos comemorar? O Dia dos Namorados?

Aurélio registra:
Namorado/a ---> aquele/a que se enamorou.
Namorar ------> procurar inspirar amor; cortejar, galantear.
Namoro -----> ato de namorar; galanteio.
E por aí vai, uma série de palavras cognatas de que tão bem conhecemos o significado que seria perda de tempo defini-las: namoradeiro/a, namorador, namoração, namorável, namoriscar, namorico/e, namorisco, namorilho, namoratório.
E não é pra menos, pois nascemos namorando. Namoramos pais, namoramos professores, namoramos na juventude os candidatos/as, prosseguimos namorando nossos/as maridos/mulheres. Namoramos coisas materiais como objeto do desejo (o vestido da vitrine, o relógio másculo, o colar de pérolas, o violão espanhol); namoramos uma posição ou situação de vida (a viagem ao exterior, a nomeação para diretor/a da empresa); enfim, estamos sempre namorando alguém ou alguma coisa.

No entanto, é de bom tom colocar essas digressões na palavra de quem é mestre como observador da pessoa humana e, ao mesmo tempo, mestre no fazer literário.
Com a palavra o nosso cronista maior Artur da Távola em:

DIGRESSÕES INCONSEQÜENTES SOBRE O DIA DOS NAMORADOS

Namorado é quem também não pode, mas quer e demonstra:disfarçado-disfarçando.
Namorado é quem se encontra em cada reconciliação sabendo renascer e reviver dentro da mesma relação.
Namorado é quem acaba compreendendo porque está junto. Mesmo que pese, mesmo que doa. Mesmo que venha sendo ou tenha sido difícil.
Namorado é quem redescobre as emoções de quando namorou e as traduz num olhar diferente ou numa emoção que já não dá para contar.
Namorado é quem provoca a outra parte como forma de se aproximar dela.É quem fere e arranha para depois beijar.
Namorado é quem suspira e se lembra de como era e do que sentia no dia daquela fotografia vista anos depois.
Namorado é aquele que, mesmo incômodo quando presente, faz inexplicável falta quando ausente.
Namorado é o que fez da impossibilidade o alimento para mais amor guardado; e do amor guardado o abastecimento para o amor exercido. E do amor exercido a provisão para a estação da saudade.
Namorado é o que reclama mesmo injustamente, mas para poder ser amado à sua maneira, muito mais e melhor.
Namorado é a viúva ou o viúvo levando flores ao túmulo, num dia qualquer em que a saudade chega, sem necessidade de data especial.
Namorado é quem levou um pedaço de vida que permaneceu durando mesmo sem ter existido, porque tudo acabou.
Namorado é o que seria se tivesse sido, mas durou ainda que por instantes na fantasia.
Namorado é o núcleo da recordação daquela namorada que não chegou a ser. Mas viveu na beleza infinita da impossibilidade fantasiada.
Namorado é o casal idoso feito amizade.
Namorado é o marido em cada vitória sobre o tédio conjugal; é o que pára e num momento de lucidez conclui que sem ela teria sido
pior.
Namorado é o pedaço de possibilidade em forma de deslumbramento. É um clima, um estado especial, uma espécie de vertigem com gosto de chegada à lua, misturado com refresco de pitanga.
Namorado é o amor que está ao lado, o possível, o adivinhado, o portador das nossas melhores expectativas; a fôrma do nosso exato modelo; o cheiro e gosto de pele das indefiníveis atrações vindas da infância.
Namorado não é quem assim se denomina, como se namorar fosse o começo de uma escala hierárquica que depois continua com noivado e casamento. Nada disso! Namorado é o noivo, o marido, o amante, o tímido desejoso, o fiel impossibilitado, o infiel aturdido, o frustrado, o reprimido, sempre que neles se riscar o fogo da vontade e se acender o clarão de sua verdade. Namorado é o ser humano em estado de amor, pouco importa os nomes dados a ele.
Namorado, portanto, é o eterno proibido, porque é sempre aquele que ainda vai conseguir. Mesmo de quem pode. Namorado é um estado do sentir antes de qualquer encontro e de todas as suas descobertas, mesmo as impossíveis; pouco importa se ocorre entre
casados, solteiros, noivos, viúvos ou namorados mesmo.
Namorado é o que viveu o sempre-depois e o nunca exercido, de um olhar que se cruzou dizendo e adivinhando um tudo que não precisou de constatação para ser vivido.
Namorado é o que sempre acaba voltando: em carne e osso ou 30 anos depois, sentado no trono dourado da fantasia, lembrança, amargura, saudade doce, breve recordação ou vivência nunca morta.
Namorado é tudo o que representa o melhor de cada um de nós, ditribuído em mil faixas de luz. São as luzes das partes que nunca alcançamos; são as luzes das vontadesque nunca satisfizemoe e nunca satisfaremos; são as luzes dos sentimentos que nunca envelheceram; são as luzes dos sonhos que nunca se apagaram, porque deles nutrimos a ânsia de viver, num mundo onde os namoros são a prova de que as pessoas estão ávidas do Encontro com o que são e gostariam de trocar.
Namorado:um espelho que reflete o outro, o morador desconhecido dentro de nós. Euele. Eleeu. Eutu -Tueu - Nós.


A todos, Feliz Dia dos Namorados !

Posso fazer um apelo para uma ingênua brincadeira em cima deste texto gostoso?

Cada leitor deve escolher dentro do texto apresentado a definição de namorado/a que mais toca a sua sensibilidade. Deixe sua opção em "Comentar?"De acordo?







publicado por Magaly Magalhães às 4:26 PM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário