Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










24.8.03
 
Ando meio omissa. Perdas lamentáveis ficaram sem registro. A mais recente e chocante por não ter sido natural, a de Sérgio Vieira de Mello, homem lúcido e competente que lutou para implantar a ordem e a paz em todas as missões que cumpriu com brio e destemor. Na situação atual, a reação dos iraquianos à ocupação do país chegou a um ponto de radicalização tal que levou os terroristas a atacarem a única instituição - a ONU - que, desde o princípio, lutou, primeiro, contra a guerra e, em seguida, pela devolução do território aos cidadãos locais. Estava lá o nosso homem em pleno esforço para institucionalizar a presença da organização como força moderadora e foi vitimado. O Brasil perdeu um intermediador como poucos.
Outra morte sentida, a do poeta, ensaísta, tradutor e crítico literário Haroldo de Campos, cuja obra poética estava intimamente ligada ao movimento concretista. Era um temperamento solitário, um indivíduo íntegro de atitudes e intenções. Foi o fundador, junto com o irmão Augusto de Campos e o amigo Décio Pignatari, do ´movimento de poesia concreta, que rompia com as formas tradicionais e discursivas dos versos e valorizava os aspectos visuais e sonoros´.
Mais outra perda, agora, na música. Foi-se o Paulo Nogueira, compositor de primeira categoria, instrumentista extraordinário, o Paulinho Nogueira da bela ´Bachianinha nº1´. Deixou uma grande lacuna no meio musical.


Post triste, é verdade, mas dentro da nossa realidade. O homem não encara a morte com naturalidade. Nossa finitude é
realmente um limite intransponível; não somos preparados para lidar com a inexorabilidade da morte.


Homenagem:

POLIFEMO CONTEMPLA GALATÉIA


o ouro se encorpa:

coxa bruna
flexuoso encurvar-se de um joelho
de brunido metal dulcificado

o ouro chove:

em pó pelos cabelos
por brilhos dispersivos enturvando-se
de seu castanho-louro pôr-de-sol

a outra: a gruta insinuada
que um tecido - seda breve - esconde
e sob crespo tosão ensolarado
mais se oculta - a gruta onde a sereia
essa - a coralina boca dragonária -
quem a pudera escrever?

cerrada em sua legenda áurea
intacta guarda-se
e defere o decifrá-la
ao lanceolado desejo
(que no inócuo papel a pena agora
apenas
extrema e silencia)

HAROLDO CAMPOS



Até outro dia. O clima é de oração pelos que se foram. Façamos a nossa parte.



publicado por Magaly Magalhães às 2:58 AM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário