Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










25.1.04
 
Estou decidida hoje a pagar uma dívida. Trazer Nélida Piñon ao nosso mundinho, que já tem recebido tantas outras figuras de importância e exibir, seu perfil, tendências, caaracterísticas literárias, planos de obra.

Não preciso dizer que Nélida é escritora e acadêmica. Nove romances publicados, três livros de contos e uma narrativa em estilo fragmentário, Nélida é uma autora consagrada nacional e internacionalmente, tendo conquistado dois prêmios literários de importância: o prêmio Mário de Andrade e o Juan Rulfo de Literatura Latino-Americana, este disputado com outros cento e dez autores.
Pela primeira vez , o Prêmio de Literatura Latino-Americana e do Caribe é outorgado a uma mulher, a uma brasileira e a uma escritora de língua portuguesa.
“A REPÚBLICA DOS SONHOS” é a obra premiada.

Foi a primeira mulher a presidir a Academia Brasileira de Letras, 1996. Sua gestão foi altamente profícua em todos os sentidos. Também não podia ser diferente, tal a paixão e o entusiasmo que ela sempre nutriu pelo patrono dessa Casa. A um jornalista que lhe perguntou sobre a capacidade de o Brasil produzir artistas e escritores de categoria, ela respondeu: ”O Brasil não é uma obra do acaso; o Brasil vem de muito longe. Talvez nós, brasileiros, é que ainda não tenhamos a noção exata dos feitos civilizatórios do Brasil. O país deu para o mundo um dos maiores escritores do século XIX. Machado de Assis, minha grande paixão literária, não é um gênio tribal. É um gênio canônico, normativo, que pode se ombrear com Flaubert e Stendhal, com qualquer grande romancista de sua época. Por isso, eu vou dizer uma frase que vivo repetindo há anos, mas é uma frase que não pode ser mudada: se Machado de Assis existiu, o Brasil é possível.”

Está aí uma pálida referência a esta grande representante da literatura brasileira, atualmente ensinando na Universidade de Miami e dando palestras nos quatro cantos do mundo, fazendo conhecida nossa índole e nossa capacidade de criar , de expor nossos próprios matizes.

De Nélida Piñon:

”A literatura não é transparente, não é uma linha reta. Ela é sinuosa, enigmática.”


******************

Cumprindo uma encomenda que me foi feita por uma gentil companheira – mais um poema de Jorge de Lima (escolha livre).

MULHER PROLETÁRIA

Mulher proletária – única fábrica
que o operário tem (fábrica de filhos)
tu
na tua superprodução de máquina humana
forneces anjos para o Senhor Jesus,
forneces braços para o senhor burguês.
Mulher proletária,
o operário teu proprietário
há-de ver, há-de ver:
a tua produção,
a tua superprodução,
ao contrário das máquinas burguesas
salvam teu proprietário.


***************

Que nos seja boa a semana que entra.

publicado por Magaly Magalhães às 4:37 PM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário