Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










28.1.04
 
Preciso aprender a me dividir em três ou quatro. A ânsia de sempre. Acho que não sei lidar com o tempo. Quero postar, quero visitar os blogues, quero comentar nos blogues, quero ler ( três livros iniciados, e não deslancho em nenhum!), quero ler os e-mails que chegam, quero responder aos e-mails recebidos, quero dar atenção aos problemas domésticos, quero participar da vida dos meus . Simplesmente, não sei administrar essas coisas todas de modo satisfatório, mesmo entrando pela madrugada, noite após noite.

E daí? Cada um com seu ritmo e sua capacidade de lidar habilmente ou não o seu próprio tempo.

Ah! Aquele jogador do Benfica ainda me traz o coração transido de agonia!
Aquela imagem mostrada à exaustão pela TV não me sai da retina. O fato é que nós nunca estamos preparados para receber esses golpes da vida.

E nossa derrota para o Paraguai! Que coisa desconexa? Perdemos a vaga para as Olimpíadas. É de doer!

E a festa de São Paulo? Estou tão distante de tudo que é festivo que deixei passar sem um comentário. Mas a Meg apresentou um trabalho brilhante. Foram ao Subrosa? Não percam!

Não é que transformei meu post em bate-papo (aqui pra nós, de queixas e notícias gastas?).

Hora de relaxar. Em compensação, vou escolher um poema bem lindinho .


Charneca em flor

Enche o meu peito, num encanto mago,
O frêmito de coisas dolorosas...
Sob as urzes queimadas nascem rosas...
Nos meus olhos as lágrimas apago...

Anseio! Asas abertas! O que trago
Em mim? Eu oito bocas silenciosas
Murmurar-me as palavras misteriosas
Que perturbam meu ser como um afago!

E, nesta febre ansiosa que me invade,
Dispo a minha mortalha, o meu burel,
E, já não sou, Amor, Sóror Saudade...

Olhos a arder em êxtases de amor,
Boca a saber a sol, a fruto, a mel:
Sou a chaneca rude a abrir em flor!

Florbela Espanca

*******

"Procuremos somente a Beleza, que a vida
é um punhado infantil de areia ressequida,
Um som d'água ou de bronze e uma sombra que passa..."


Eugênio de Castro

publicado por Magaly Magalhães às 7:02 AM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário