Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










6.2.04
 
Estou aqui, agora, por um motivo muito especial. Uma amiga alagoana, da cidade de Arapiraca, sensível poeta e inspirada criadora de belas telas faz o lançamento de seu livro de poesias. Trata-se da já conhecida na Internet, através de alguns sites de poesia, Lêda Yara Motta Mello, e conhecida também aqui entre meus leitores, que, de vez em quando, recebem um poema saidinho do forno, tal qual ela me manda.
A Noite de autógrafos será hoje, em sua cidade natal. O livro - Meus Sonhos - reproduz na capa uma de suas telas, intitulada Faça-se a Luz.
Criadora versátil, ela passeia por todas as sendas da poesia, indo de versos ingênuos a contundentes versos de denúncia; da sensualidade à mais pura fé; e ainda nos brinda com poemas em linguagem inculta, "matuta", com uma graça inimitável.
Esperamos seu livro, Leda, amorosamente e esteja certa de que já
estamos dizendo:
Bem-vindos sejam os seus sonhos.

Assim é que, com muita alegria e entusiasmo, deixo aqui dois de seus poemas: o poema com que ela inicia o livro e o poema com que o finaliza.


MEUS SONHOS

Meus sonhos não morrem. São parte de mim.
Retalhos de vida, marcando um tempo.
Constelações que vislumbro
no dorso do cavalo alado da esperança,
percorrendo caminhos, idealizando um amor,
escutando, na alma, um acalanto de espera,
antecipando o futuro, com sabor de presente
que degusto, mansamente,
na ante-sala do gozo das realizações plenas.


Meus sonhos não morrem. São fragmentos de alma.
São a brisa do mar refrescando o meu espírito,
a correnteza caudalosa que me impulsiona para a vida,
a relva macia em que repousa o meu cansaço.
Meus caminhos de ir, às vezes de chegar.

Meus sonhos não morrem. São sementes de vida.
Há os sonhos que germinam, florescem
e produzem os frutos que alimentam a minha história.
Abençoados sejam os sonhos que frutificam!
São os que irradiam para o universo
o sorriso e a alegria do colorido da vida.


Meus sonhos não morrem. São regaços que abrigam.
Há os sonhos que, apesar da fé e da persistência,
não conseguem eclodir para o real.
Nasceram para preencher lacunas de solidão,
adoçar com mel o amargor dos combates perdidos,
repousar o cansaço da alma inquieta.
Abençoados sejam os sonhos que não eclodem!
São anjos de candura que nos embalam
quando a aridez da vida
apresenta o seu cartão de visita.

Meus sonhos na morrem.
Integram-se no universo.
Os sonhos não vividos
liberto-os, para que abençoem outras vidas.
Um último afago, um pensar de saudades,
um brilho de lágrima, um aceno de adeus...
Voam para o infinito, nos braços da esperança
até confundirem-se, suavemente,
com as últimas luzes de um pôr de sol.



REALIDADE OU SONHO?
Sim, eu te amo, disso tens certeza
O mesmo amor que conheceste um dia
Completo, pleno e cheio de alegria.
Difere, apenas, no tom de tristeza


Pela saudade que de tão antiga
Já nem dói tanto, como em anuência
Por tua escolha em se fazer ausência,
Por me levares a presença amiga.


Devagar a bruma envolve o teu olhar
O teu sorriso, o jeito de falar,
Nossas lembranças de um tempo risonho...


Imagens tão vagas, no meu recordar
Que, às vezes, chego a me perguntar
Se foi real ou se foi tudo um sonho.



Vamos dar parabéns à Leda?

publicado por Magaly Magalhães às 6:04 PM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário