Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










21.4.05
 

www.wholesaleoilpainting.com

Novidade! Quem leu a Meg sabe. Em seu post do dia 19 pp, ela anunciou que o forte de agora são os microcontos e falou até em concurso, válido para blogueiros portugueses e brasileiros. Vão lá e confiram.

Já o Nemo Nox concebeu A Casa das Mil Portas onde apresenta uma bela safra de microcontos. Visitem-no também.

E se a onda é de microcontos, eu que sou de onda, entro na onda já, pois não? Aprontei estes que se seguem pra vocês. Espero que apontem as falhas que posso ter cometido.
Divirtam-se, meninas e meninos!


a) Que fazer se a vida dobrou a esquina errada?

b) Ia falar o que sabia quando sobreveio o espanto.

c) Ingênuo? De nascença? Passou a vida, não se deu conta.

d) Quem vem lá? Quem vem lá? Quem...? Pluft!... Pauleira!

e) Tinha que dar um jeito. Luz no fundo do vão. Gente, eureka!

f) Nem tão soft, nem tão hard: a vida em branco não é tão rara.

g) Choro, choro convulso, desatado... Atoleiro e caos.

h) De corpo em corpo, de léu em léu, de céu em céu, o sítio
definitivo.

i) Ausência no ar. Silêncio fragilizante. Não vá, não agora!

j) Enfiou o boné até os olhos, cortou a rua, sumiu entre pneus.


********************************************************


Hoje, data histórica, por que não aproveitar o fato para me pôr em dia com a publicação de poemas?

ROMANCE LXII OU DO BÊBEDO DESCRENTE

Vi o penitente
de corda ao pescoço.
A morte era o menos:
mais era o alvoroço.
Se morrer é triste,
por que tanta gente
vinha pela rua
com cara contente?

(Ai, Deus, homens, reis, rainhas...
Eu vi a forca... e voltei
Os paus vermelhos que tinha!)
(...)

Parecia um santo,
de mãos amarradas,
no meio de cruzes,
bandeiras e espadas.
*Se aquela sentença
já se conhecia,
por que retardaram
a sua agonia?*

(Não soube. Ninguém sabia.)

Traziam-lhe cestas
de doce e de vinho
para ganhar forças
naquele caminho.
*Se era condenado
e iam dar-lhe a morte,
por que ainda queriam
que morresse forte?*

(Ninguém sabia. Não sei.)

Não era uma festa.
Não era um enterro.
Não era verdade
e não era um erro.
*Então por que se ouvem
salmo e ladainha,
se tudo é vontade
da nossa Rainha?*

(Deus, homens, rainhas, reis...
Que grande desgraça a minha!
*Nunca vos entenderei!*)

Cecília Meireles, *Romanceiro da Inconfidência* / Rio de Janeiro / Nova Fronteira / 1989.




Tela de Portinari retratando o esquartejamento de Tiradentes

publicado por Magaly Magalhães às 10:37 PM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (1) comments
Postar um comentário