Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










1.5.05
 

Guarás, pássaros da região amazônica

Hoje é dia de variedades. Há tanto o que comentar!

Vocês têm passado no Imagens e Palavras , da Meg? Está cheio de artigos novos, mas muitos mesmo. Quando falo em novos, não quero dar a conotação de artigos recentes. São artigos especiais que transmitem idéias especiais, que não sofrem o desgaste do tempo. São o testemunho de um momento importante, o registro de um fato ou de uma vida proveitosa, ensaios sobre temas palpitantes. Enfim, o I&P é um repositório inestimável de cultura.
Vamos adquirir o hábito de visitá-lo de quando em quando, deixando lá, nos comentários, nossa opinião, nossas dúvidas (às quais certamente, Meg responderá). Vamos?

Uma curiosidade: Já visitaram o Verbeat? Como diz minha neta, bom que vcs dêem uma fuxicadinha na página que vcs vão se surpreender. O pessoal é bom e sabe dizer a que veio. Passem por lá.




Alguém precisando de professor de violão? Há um site que leva o interessado ao endereço certo: o Curso de Violão André Campello. Trata-se de meu filho e, por isso, posso dizer de cadeira: é um professor consciente, amante da boa música e tem conseguido encaminhar com segurança muita gente na carreira musical. Detalhes no site.


Olhe o concurso, gente!

Promovido pelo blogueiro/escritor Luís Ene, o conhecido autor de Mil e uma pequenas histórias, o Concurso de micro-contos Mário Henrique Leiria já se encontra em plena execução e receberá contribuições durante todo o mês de maio.



Blogueiros portugueses e brasileiros podem habilitar-se enviando seus contos (em número de três) por todo o mês de maio, os quais ficarão expostos em http://leituras.com.net, onde se encontra o regulamento do concurso e mais detalhes.
Espero que muitos, muitos blogueiros queiram participar. Durante o mês de junho, serão julgados os contos por uma seleta composição de juízes, havendo previsão de o resultado sair em fins do mesmo mês. Os vencedores terão seus contos publicados.



Marinha / Carlos Scliar / Óleo sobre tela

Ih! Tenho um poema tão lindo hoje de uma autora lusitana, hoje estabelecida no Brasil.Trata-se da filósofa-poeta Maria Helena Varela.

BRASIL, BRASIS E EU...

Meu Brasil virtual,
Ilha continental encoberta
E desejada pelos homens de quinhentos;
Porto seguro de um povo de poetas,
Navegantes do infinito;
Terra prometida de profetas,
Visionários febris dum quinto império
A terra e o céu fundidos no amor e no mistério.

Meus brasis de outros epos e mitos,
Povoado de deuses, sem heróis nem Graal;
Humanos sem inocência nem pecado,
Força da terra pujantes e excessivas,
Vontades de viver afirmativas
Além do bem e do mal.

Meu Brasil natureza,
Grande sertão intemporal,
Dentro e fora das gentes,
Cantado por filómitos-poetas,
Traçado pela vontade das bandeiras.
Meu Brasil língua geral,
Supra senso mítico, original,
Mais perto dos deuses, da poesia,
Meu Brasil minha língua
Transplantada, mestiça e sem fronteiras,
Criada e recriada na magia;
Meu mar de outrora
E minha pátria de agora.

Meu Brasil selvagem e menino
Em seu logos lúdico,
Jogo lógico do efêmero não banal,
Em seu mythos eterno e festa natural.
Meu Brasil do por-vir, do poder ser,
Do sentir e do deixar viver.
Meu Brasil que procura
Um sentido, um herói, uma memória
No devir da lonjura,
No desafio e na aventura,
Mais do que na história.

Meu Brasil de contrastes e confrontos,
Paraíso terreal e purgatório das gentes,
Terra e fogo,
Profundo e superficial.
Meu Brasil miscigenado e plural.
Terceiro incluído, religador e arlequinal.
Meu Brasil ideal,
Quinto Império possível,
Fluido e intemporal,
Terceira margem de um epos imperecível,
Herança sutil de heróis do mar,
Pioneiros nas artes de fluir,
Amar e navegar.

publicado por Magaly Magalhães às 11:43 PM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário