Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










22.6.06
 
VIVA! Viva o dia 23 de junho, o aniversário da MEG, gente! Vamos comemorar adequadamente, com um banquete de rosas.



De que maneira mais apropriada poderíamos fazê-lo? Trata-se finalmente da preciosa dama cuja identidade repousa sob o símbolo da rosa. Então não é ela a digníssima proprietária do mais aplaudido e respeitado blog de toda a blogosfera, o SUBROSA?

Sua paixão à altura do culto às rosas? Poesia.

Façamos, então, a festa completa:

*Que faço deste dia, que me adora? / Pegá-lo pela cauda, antes da hora / Vermelha de furtar-se ao meu festim? / Ou colocá-lo em música, em palavra, / ou gravá-lo na pedra, que o sol lavra? / Força é guardá-lo em mim, que um dia assim...*


*Quero conhecer a mãe-d´água / que no claro do rio penteia os cabelos / com um pente de sete cores / Salve salve minha rainha, / Ó clemente ó piedosa ó doce Virgem Maria, / ?Como pode uma rainha ser também advogada.*


*Tinta, lavo-te os antebraços, Vida, lavo-me / No estreito-pouco / Do meu corpo, lavo as vigas dos ossos, minha vida.*


*Saio de meu poema / como quem lava as mãos. / Algumas conchas tornaram-se, / que o sol da atenção / cristalizou; alguma palavra / que desabrochei, como a um pássaro.*


*Abrandar os tufões dos espaços, / acabar com os tiranos do mundo. / Poeta, podes fazer. / Extinguir a palavra de Deus, / afastar a verdade da terra / Poeta, não podes fazer.*


*Por que não o bebi quando o encontrei / no rosto amado, um mundo à mão, ali, / aroma em minha boca, eu só seu rei? / Ah, eu bebi. Com que sede eu bebi / Mas eu também estava pleno de / mundo e, bebendo, eu mesmo transbordei.* (Tradução de Augusto Campos)


*Onipresente / Melancolia / Que entre a alegria / Sorris prudente. / Sombra latente / À luz do dia, /
Mudez sombria / Que o som pressente.*


*Poesia é quando a tarde está competente para / Dálias. / É quando / Ao lado de um pardal o dia dorme antes.*


*Deus é mais belo que eu./ E não é jovem./ Isto sim, é consolo*


*O mundo estava no rosto da amada. / e logo converteu-se em nada, em / mundo fora do alcance, mundo-além. / Por que não o bebi quando o encontrei / no rosto amado, um mundo à mão, ali, / aroma em minha boca, eu só seu rei?*


*Basta-me um pequeno gesto, /feito de longe e de leve, /para que venhas comigo /e eu para sempre te leve... *


*Parecia um pássaro, um frêmito / de folha, uma líbélula, /uma coisa evanescente / e volátil:/ não era nada, um pensamento / de amor?* (Fico devendo a foto de Marly de Oliveira).


Passaria horas a pinçar trechos poéticos para a nossa homenageada ( Como ela merece!). Vou deixá-la entre o perfume das rosas e a atmosfera dos versos, porque sei que sua felicidade reside nessas filigranas sentimentais que mobilizam sua alma afeita ao que é fino e delicado.

Toda a felicidade do mundo para você, querida amiga, é o meu desejo e o de toda a corrente blogueira.

Sinta-se maravilhosa entre alguns de seus poetas favoritos.

publicado por Magaly Magalhães às 10:10 PM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário