Divulgar idéias próprias, combater o discurso invertido corrente, aprender a dividir, expor sentimentos,
trazer poesia ao dia-a-dia, eis a abrangente ação deste veículo de idéias. De tudo, um pouco - minha meta.
 

online


envie-me um



Links:

Imagens e Palavras
Sub Rosa v.2
Meg
Xico
Cora Ronai
Flavia
Divagando
Carminha
Subrosa
Claudio Rubio
Lou
Laurinha
Matusca
Suely
Claudia Letti
Aninha Pontes
Valter Ferraz
Telinha
Giniki
Teruska
Helo
Fal
Dudi
Fer
Lord Broken Pottery
Nelson da praia
Marco
Arquimimo
Angela Scott
Dauro
Bia Badaud
Angela do Mexico
Andre Machado
Aurea Gouvea
Ruth Mezeck
Ronize Aline
Ane Aguirre
Elis Monteiro
Cath
Wumanity
Telhado de Vidro
Beth
Milton Ribeiro
Stella
Veronica
Renata
Lucia
Thata
Zadig
Lamenha
annemsens
Cesar Miranda
Paulo Jose Miranda
Eiichi
Li Stoducto Stella Ramos Santos





Arquivos
Junho 2002
Julho 2002
Agosto 2002
Setembro 2002
Outubro 2002
Novembro 2002
Dezembro 2002
Janeiro 2003
Fevereiro 2003
Março 2003
Abril 2003
Maio 2003
Junho 2003
Julho 2003
Agosto 2003
Setembro 2003
Outubro 2003
Novembro 2003
Dezembro 2003
Janeiro 2004
Fevereiro 2004
Março 2004
Abril 2004
Maio 2004
Junho 2004
Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Dezembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Abril 2006
Maio 2006
Junho 2006
Julho 2006
Agosto 2006
Setembro 2006
Dezembro 2006
Janeiro 2007
Fevereiro 2007
Maio 2007
Junho 2007
Julho 2007
Agosto 2007
Setembro 2007




Design de
Rossana Fischer










9.2.07
 

PRAIA DE PAJUÇARA / MACEIÓ


AVISANDO

Até que enfim, posso começar a procurar meu novo paradeiro.
Daí o aviso que anuncio: vou afastar-me da internet por um bom período para dar seguimento ao meu há 6 meses anunciado triplo programa.

Cirurgia feita, ap vendido, vem agora a procura de um imóvel menor, seguida de mudança, o que vai ocupar-me totalmente, levando em conta ainda que pretendo logo em seguida ir descansar um pouco em minha terra, aonde não vou desde 1996.
Vou ter muitas saudades, mas reconheço que este descanso junto aos meus é inadiável.

Estarei de volta queimadinha, falando mais arrastado ainda e feliz que nem um anjo para retomarmos o papo blogueiro.

Deixo sinais de reminiscências que me chamam pra lá.

ENCONTRO DA LAGOA MUNDAÚ COM O MAR



NA POEIRA DO TEMPO


Tudo está tão distante!
A casa e o quintal grandes
Os barulhos domésticos
As vozes familiares
Sol ? alegria certa
Chuva ? quietude triste
Em circulação tias-avós, tios,
Irmãos, primos, agregados
As gargalhadas felizes
As implicâncias por nada
As ordens mal percebidas
Nem sempre cumpridas
Minha irmã negra (inesquecível!)
A arquitetar maravilhas
Encenando conosco a cada ano
O pastoril do Natal
*-Boa-noite, meus senhores todos
Boa-noite, senhoras também
Eu peço palmas, peço fita e flores...*
Meus pais em idílio permanente
Nas horas de alegria
Ou em perigo iminente
Tudo agora é tão longínquo!
Pingos de chuva estalam no pátio
Molhando fundo o coração da gente
As vozes estão quase indistintas...
As imagens esgarçadas
Num horizonte sem volta
Da maioria, só a memória do ontem
Diluindo-se inapelavelmente no tempo...
No ar...

1997 / Rio

PERFIL


Pequena
Formosa
Suave
Maria


Caprichos
À parte
Sensível
Maria


Atuante
Pensante
Valente
Maria


Maria sem mágoas
Maria exemplo
Maria estandarte
De força e talento


Maria de um
Maria de tantos
Maria de todos
Por fé e por Deus


Bendita Maria
Que honra me deste!
Minha mãe Maria
Maria Elisabeth

1997 /Rio

SAUDADE


de seu jeito escondido de ser,
de sua humildade altiva,
de sua grandeza disfarçada,
de sua mania de doar-se,
de jamais pensar em si mesma,
de viver a vida de cada um
a desfazer-se em atenções,
preocupações, cuidados.

Saudade
de suas emulações para que
recitássemos, cantássemos,
parecêssemos sempre gentis
e nos distinguíssemos
nas brincadeiras, no palco,
nos concursos escolares.
Você me fazia sentir a sua preferida
Hoje sei que eram equivalentes
os quinhões de amor
destinados a cada irmão.
Um dia você testemunhou
o segundo dos casamentos
com que vivia a sonhar.
Casei e voei pra longe de você.
O tempo passou célere
causando-nos os previsíveis desgastes
até um dia trazê-la de volta a mim
com a diligência de sempre
com a solicitude de sempre
com o amor de sempre,
mas com uma inquietude fluida no olhar
uma sutil insegurança nos gestos
como a pressentir
que o circuito de seu tempo
estava prestes a fechar-se.
De suas mãos de artista
brotavam flores, arranjos
accessórios, peças de artesanato.
Sábia contrapartida aos tempos adversos
como fora sempre a sua marca

Saudade, Dadá,
de suas iluminadas lições
de sabedoria, de vida.

Saudade, Dadá, de você !

SAUDADE ...

Rio / 1998

Entenderam? Precso ir lá, ressuscitar meus fantasmas tão queridos, sentir o sol, a brisa os aromas de lá. Reestruturar-me para cumprir o tempo que me for confiado pela sabedoria do NOSSOAMIGOLÁDECIMA

Fiquem bem.


publicado por Magaly Magalhães às 9:02 AM
Comments:
<$BlogCommentBody$>
<$BlogCommentDeleteIcon$> (0) comments
Postar um comentário